segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

[Literatura Lusófona] "Um Homem Escandaloso", de Tiago Rebelo [ASA]




Autor: Tiago Rebelo

Editora: ASA [Grupo LeYa]

Edição: Novembro de 2014

Páginas:328

Género: Romance/Literatura Lusófona

Crítica por Isabel Alexandra Almeida para o Blog Os Livros Nossos:

   Um Homem Escandaloso do Jornalista e escritor Português Tiago Rebelo é um romance contemporâneo temperado com rasgos de ironia, algum humor e bastante erotismo.
   
  O nosso protagonista é João Pedro, uma personagem com quem nos é fácil simpatizar, porque há nele uma série de características próprias de um verdadeiro anti-herói: pintor, tímido, inseguro, desajeitado,  com evidentes dificuldades em socializar, sem dever muito à beleza e com a situação financeira e o casamento em crise instalada. 

   No início da trama João Pedro encontra-se já divorciado de Clara, uma rapariga oriunda de uma família tradicional e de elevada classe social, cuja família acabará por enfrentar a falência financeira. Ambos se conheceram na faculdade, e Clara criou uma imagem totalmente idealizada de João Pedro, então o melhor aluno da faculdade, para o qual a namorada e mais tarde esposa anteviu um futuro brilhante em termos artísticos, acabando por se sentir desiludida com essa idealização, e projectando na pessoa do marido a sua frustração pelo facto de este não ter logrado corresponder às elevadíssimas e irreais expectativas que Clara traçara para ambos.

   Insatisfeita com o casamento, desiludida com o marido (ou  melhor dizendo, desiludida com a fantasia idealizada que do mesmo criara na juventude), acabará por se divorciar e contrair novo matrimónio com o seu Patrão, sendo empregada num Atelier de arquitectura.

   Quando se encontra a adaptar à sua condição de divorciado, disponível para estabelecer novos relacionamentos aos níveis físico e emocional, enquanto vê a sua carreira de artista permanecer num incómodo impasse de fracasso, é assaltado por um estranho e sensual sonho, onde se vê envolvido sensual e sexualmente com duas belas mulheres, acabando por percepcionar uma realidade fantasiada e também idealizada acerca do seu futuro.

   O destino levará João Pedro a cruzar-se com a sensual Cristiane, uma hospedeira de bordo com a qual viverá uma relação intensa, gerando consequências inesperadas na personalidade e na criatividade do pintor, até ai um artista incompreendido e pouco inspirado, apesar de possuir elevado nível técnico. Com Cristiane João Pedro descobre todo um novo percurso ao nível dos sentidos, da sensualidade e sexualidade vividas intensamente, numa nítida química erótica que o autor bem sabe descrever e transmitir aos leitores.

   Iremos também encontrar, no terço final da narrativa, Carol, uma fotógrafa de moda e "da moda", que esconde um passado familiar traumático, e que vive com base numa imagem totalmente construída de forma artificial.

   A linguagem é bastante acessível, mas ainda assim, elaborada (sem ser pretensiosa nem vulgar), sendo diversos os trechos textuais que têm bastante de filosófico, e que nos levam a pensar nos pressupostos nos quais baseamos a nossa vivência, o que nos dá sentido à vida, a forma como procuramos de forma mais ou menos adaptativa encontrar esse sentido.

  É nítida também a deliciosa sátira social, pois sem medos e sem falsos pudores, toda a trama e a caracterização física e psicológica das personagens apontam o dedo a uma sociedade nossa contemporânea, onde o parecer é mais importante do que o ser, e onde os valores materiais se sobrepõem aos morais, estando o foco  a incidir em sombras projectadas numa parede duma caverna, e não nos verdadeiros objectos e seres que originam essas sombras (numa interpretação platónica muito livre que nos suscita a reflexão crítica sobre esta obra e que ousamos partilhar).

Foi a minha estreia com uma obra deste autor e há que admitir que Tiago Rebelo ganhou mais uma leitora !

Classificação atribuída no GoodReads: 4/5 estrelas

   



quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

[Renda & Saltos Altos] "Um Anjo da Guarda", de James Patterson e Gabrielle Charbonnet [Topseller]



Autores: James Patterson e Gabrielle Charbonnet

Edição: Novembro de 2014


Páginas: 304

Género:  Romance/Ficção Romântica


Crítica por Isabel Alexandra Almeida para o Blog Os Livros Nossos:


  Um Anjo da Guarda, é uma doce e romântica narrativa, ideal para uma leitura rápida e descontraída e capaz de nos deixar completamente rendidos à simplicidade e ternura da trama.
   Como personagens centrais iremos encontrar Jane Margaux, filha da bem sucedida e autoritária produtora da Brodway Vivienne Margaux.
   Embora ao nível material, Jane leve uma vida desafogada, e pese embora o facto de trabalhar com a mãe, esteja a começar a desbravar o seu próprio caminho, por mérito próprio, na área da produção de espectáculos, a jovem sente que lhe faltam autonomia e independência em relação à mãe.
  Em termos emocionais, apesar de manter uma relação amorosa com o atraente, vaidoso e fútil actor Hugh Mcgrath (talvez a personagem que todos os leitores vão adorar detestar), a verdade é que Jane sente que esta relação não parece ser suficientemente sólida, recíproca e sincera, subsistindo um vazio emocional que anseia secretamente ver preenchido.
   Michael é um homem atraente e muito misterioso cuja missão na vida é cumprir uma tarefa muito especial - assumir o papel de amigo imaginário de crianças, até que estas completem o seu nono aniversário. De todas as crianças com que se cruzou, uma deixou uma marca muito especial no seu coração, trata-se de Jane Margaux.
   A escrita é fluída, leve, doce e envolvente, como é habitual neste registo romântico de James Patterson, e as páginas vão sendo viradas sem nos darmos conta!
   A narrativa conta com um toque de fantasia (Michael, o amigo imaginário que reencontra Jane na idade adulta e que fará a jovem colocar em dúvida a sua própria sanidade mental, em momentos que têm também um toque de humor bastante vincado, mas que serão do agrado dos leitores mais românticos).
   Uma personagem bastante forte é Vivianne Margaux, dominadora, poderosa, autoritária, interfere de forma intrusiva na vida da filha - Jane - mas ama-a incondicionalmente, embora nem sempre consiga expressar de forma mais saudável e funcional tais sentimentos.
   A história, sendo simples, suscita-nos algumas reflexões acerca do modo mais ou menos equilibrado como podem decorrer as relações entre pais e filhos, especialmente, leva a concluir que nem sempre as classes sociais mais elevadas conseguem proporcionar o ambiente mais desejado em termos de afectos e sua expressão, mas também há sempre hipótese de corrigir alguns erros, desde que as consciências se agitem.
   Uma leitura que recomendamos a românticos inveterados, e que constitui uma boa escolha para leitores mais jovens. Mais uma vez, James Patterson conseguiu ser bem sucedido num género que é bastante diverso do seu registo principal, enquanto autor aclamado de policiais.

   Gostamos e recomendamos!

Classificação atribuída no Goodreads: 4/5 estrelas


  


terça-feira, 25 de novembro de 2014

[Passatempo Especial - Resultados] "Escravos da Luxúria", de Kate Pearce [Quinta Essência]


   Com o simpático apoio da nossa parceira editorial Quinta Essência, tivemos oportunidade de sortear entre os nossos leitores dois exemplares do livro - Escravos da Luxúria, de Kate Pearce, gentilmente cedidos pela chancela editora e ainda alguns detalhes muito especiais: com o simpático apoio da autora, os livros mostram-se personalizados com bookplate autografado pela mesma, e serão também acompanhados de marcadores, postais e capas de livros também contendo autógrafos (excepto os marcadores).

[Resultado - Passatempo Kate Pearce]

   Como prometido, é tempo de anunciar os vencedores deste passatempo especial, assim, sem mais delongas, os nossos parabéns vão para:

Manuela Santos [Nº 4] - de Lisboa

Raquel Leite [Nº 7] - do Porto

Os livrinhos serão enviados pelo correio durante o mês de Janeiro. Obrigada a todos os participantes e fiquem atentos, em Março celebramos o terceiro aniversário do Blog, e temos muitas surpresas.

A todos votos de um excelente 2015, pleno de saúde, sucesso e , claro, livrinhos!

Nota: Post reeditado em 31.12.2014




domingo, 2 de novembro de 2014

[Secção Criminal] "Diário de Uma Obsessão", de Claire Kendal [Saída de Emergência]



Autora: Claire Kendal


Edição: 10/10/2014

Páginas: 304

Género: Thriller


Saiba mais detalhes sobre a obra e leia um excerto da mesma AQUI



Crítica por Isabel Alexandra Almeida para o Blog Os Livros Nossos:

   Diário de Uma Obsessão é o romance de estreia da autora Claire Kendal. Trata-se de um thriller perturbador e inquietante, que consegue envolver-nos numa leitura compulsiva, levando-nos a facilmente empatizar com a protagonista, um jovem rapariga comum que irá ser alvo de uma perigosa obsessão por parte de um Professor da Universidade onde trabalha como Administrativa.

   A acção decorre em Inglaterra, mais precisamente em Bath, em Bristol, com uma breve sequência narrativa que decorre em Londres.

   Clarissa Jane Bourne é uma jovem trabalhadora que reside perto do local de Trabalho – Uma Universidade em Bath. Encontra-se ainda fragilizada devido ao final de um relacionamento amoroso que manteve com Henry, um Professor Universitário Casado, que deixou a companhia da esposa para viver com Clarissa, o que leva a jovem a culpabilizar-se, e a sentir a perda de Henry (que de deslocou para dar aulas noutro local mais vantajoso) como uma punição pelo seu comportamento sujeito a julgamento moral negativo. Clarissa trava conhecimento com Rafe Solmes, um Professor de Inglês da Universidade onde a jovem trabalha, vendo-se arrastada para um envolvimento íntimo abusivo, por uma única vez, mas que levará a jovem a viver um verdadeiro pesadelo de perseguição e risco de vida.

   Sentindo-se acossada e em perigo, tendo em conta que Rafe assume comportamentos e abordagens cada vez mais persistentes e insistentes, recusando a intenção de Clarissa em não manter com este um relacionamento afectivo, sente-se observada a todo o momento, e limitada no seu livre arbítrio, decidindo elaborar um diário onde regista todos os incidentes persecutórios, reunindo provas que permitam denunciar o seu perseguidor às autoridades policiais.

   Enquanto assume o papel de vítima de perseguição, Clarissa é seleccionada para integrar um júri num julgamento por violação e maus tratos a uma jovem prostituta – Carlotta Lockyer, na companhia de outros 11 jurados, travando conhecimento com os colegas de júri e tornando-se mais próxima de Annie – uma mulher abandonada recentemente pelo marido e de Robert, um atraente e forte Bombeiro profissional pelo qual começa a sentir uma nítida atracção física e emocional.

   A narrativa assume dois planos distintos, pelo que vamos assistindo à descrição das várias sessões de julgamento, e à dinâmica do relacionamento entre os membros do júri e os seus comentários e opiniões a propósito da prova que vai desfilando perante os seus olhos, assim como aos debates dos advogados de defesa e dos responsáveis pela acusação da Coroa. Noutro plano narrativo, acompanhamos o desenrolar do dia-a-dia de Clarissa, cada vez mais aterrorizada com a obsessão de Rafe para com a sua pessoa.

   Surgem também dois narradores diferentes – se por um lado vamos acedendo ao Diário de Clarissa que relata na primeira pessoa, e em tom intimista o que lhe vai sucedendo, por outro, contamos também com relatos na terceira pessoa, por um narrador não participante.

  Um outro detalhe que confere à obra um interesse acrescido é o facto de serem incluídas referências a diversos contos de fadas clássicos, sendo destacado o seu simbolismo com conotação menos positiva e mais violenta ou punitiva.

   Claire Kendal consegue transportar o leitor para um ambiente sinistro, inquietante e deveras perturbador de uma mente perturbada e psicótica, sem uma noção clara da realidade e capaz de por em perigo o livre arbítrio e a autodeterminação da vítima, por isso, não de espante se der por si a suspeitar de que alguém está atento a cada passo que dá! 

Viciante e recomendável aos adeptos de um bom thriller !





terça-feira, 7 de outubro de 2014

[Passatempo - Resultado] "Conquista o teu amor", de J. C. Reed [Editorial Presença]


   Com o simpático apoio da nossa Parceira Editorial Presença, tinhamos para oferecer a um dos nossos leitores um exemplar do livro Conquista o teu amor, de J. C. Reed. 


[Resultado Passatempo]:

Tivemos 96 Participações, mas temos apenas um vencedor:

Participação vencedora:

Nº 53 - Luís Costa e Silva, de Lisboa.

Obrigado a todos os participantes, em breve teremos mais passatempos.


segunda-feira, 6 de outubro de 2014

[Renda & Saltos Altos] " À Beira do Lago Encantado", de Barbara Cartland [Quinta Essência]



Autora: Barbara Cartland


Edição: Outubro de 2014

Páginas: 172

Género: Romance histórico romântico

Crítica por Isabel Alexandra Almeida para o Blog Os Livros Nossos:

À Beira do Lago Encantado, é um romance histórico elegante, simples mas, em simultâneo muito bem tecido, e que aproveita bem o panorama político da época em que decorre a acção - 1905 - nas vésperas da I Guerra Mundial, quando as superpotencias mundiais não se poupavam a esforços para saber cada passo ou intenção oculta dos rivais, no intuito de antecipar jogadas e decisões políticas e financeiras de relevo, recorrendo à espionagem.

O cenário da acção é também ele um marco histórico, trata-se da estância termal de Marienbad, na Europa, local de descanso da realeza e aristocracia no início do Século XX. 

Como personagens centrais vamos encontrar Lorde Ian Arkley, um nobre britânico, amigo pessoal do Rei Eduardo VII, que se dedica à espionagem de mais alto nível, em defesa dos interesses da Inglaterra, num momento em que a Alemanha do Kaiser Guilherme II (sobrinho de Eduardo VII, mas que tem com o tio uma relação distante e de competição pelo poderio internacional) está atenta a cada passo e disposta a tudo para colocar em risco as relações entre a Inglaterra e a França.

Lorde Arkley é um homem atraente, elegante, sedutor, que vai mantendo relações amorosas pouco duradouras  com belas damas, mas que ainda não encontrou a mulher certa para entregar o seu coração.

O destino colocará Lorde Arkley no caminho da frágil princesa Mariska, princesa de Wilzenstein, presa a um casamento infeliz, de sofrimento e violência doméstica, sob o jugo dominador do marido - o Principe Friederich de Wilzenstein - um homem amargo, de mal com a vida por ter ficado inválido na sequência de um ataque anarquista sofrido no dia do seu casamento com Mariska, culpando a esposa por tal facto.

Inadvertidamente, Lorde Arkley e Mariska ver-se-ão envolvidos num turbilhão de intriga política, espionagem e luta pelo poder de grandes potências mundiais, quando ambos se apercebem de que o Estado Maior Alemão manipula o príncipe Wilzenstein para que envolva a mulher nos perigosos terrenos da espionagem.

Entre Ian Arkley e Mariska irá nascer um amor, que ambos sabem ser impossível concretizar, mas que dará a Mariska um novo ânimo, levando a infeliz jovem a descobrir um novo sentido para a vida, aprendendo a deixar-se levar pela sua mente até um outro mundo alternativo, à beira de um lago encantado, onde todos os sonhos parecem possíveis de realizar, e onde a felicidade é possível.

Uma obra verdadeiramente romântica, onde os afectos se expressam  de forma poética, fazendo as leitoras vibrar, emocionar-se e deixar-se prender pela fascinante história de amor deste casal, e acompanhando a acção de espionagem que acompanha a história de amor.

Detalhe interessante é a participação de Eduardo VII na história, a alusão ao joie de vivre do Rei e seus amigos e a referência ao diplomata Português Luís de Soveral, um homem espirituoso muito querido entre os amigos do monarca britânico.

Vibrante, encantador, levando-nos a sonhar com um romantismo de outras eras, em descrições envolventes e imbuídas de um verdadeiro poder encantatório, fazendo-nos recordar um tempo em que a escrita se centrava mais nas emoções puras do que em cenas ousadas. E que belo é viver emoções fortes através das páginas deste lindíssimo romance que se lê e relê com renovado prazer. 

Um livro para nos fazer sonhar! 

Uma viagem às primeiras leituras românticas da geração dos anos 80 que acreditamos irá conquistar novas adeptas.




sexta-feira, 26 de setembro de 2014

[Histórico] "O Segredo dos Tudor", de C. W. Gortner [Topseller]



Autor: C. W. Gortner

Edição: Setembro de 2014

Editora: Topseller [Grupo 20/20]

Páginas: 352

Preço: 20,99€

Género: Romance Histórico

Saiba mais detalhes sobre esta e outras obras AQUI


Crítica por Isabel Alexandra Almeida para o Blog Os Livros Nossos:

   O Segredo dos Tudor é um brilhante romance histórico que nos traça um retrato bastante detalhado e dinâmico da corte do Rei Eduardo VI (filho de Henrique VIII) e do clima de perigo, intriga, traição e lealdade que então se vivia em Inglaterra, decorrendo a acção em 1553, entre Londres e outros locais circundantes.

 O protagonista da trama é Brendon Prescott, um jovem abandonado e acolhido pela poderosa família Dudley, é chamado a assumir as funções de escudeiro de Robert Dudley, em Londres na corte de Eduardo VI, o jovem rei que vive sob o jugo manipulador do seu perverso e astuto conselheiro - João Dudley - Duque de Northumberland - pai de Robert.

 Tendo sido confiado aos cuidados de uma serviçal - a saudosa Dona Alice - Prescott é um jovem culto, tendo desenvolvido o gosto por livros e por novas aprendizagens, embora tenha sido punido por Lady Dudley, a matriarca da família, que nunca escondeu a contrariedade de dar guarida ao jovem órfão.

 Num fascinante retrato da época dos Tudor, iremos assistir ao desenrolar de uma narrativa emotiva, com um excelente ritmo, sendo permanente o suspense e a tensão que agarram  o leitor às páginas do livro, não faltando mistérios, dramas, traições, amores, lealdades que se perdem e que conquistam, e cenas de acção e perigo verdadeiramente arrebatadoras.

  Trata-se de uma época em que tudo se joga, para escolher o sucessor de Eduardo VI, e na corrida para o trono encontram-se pessoas bastante diferentes em termos de personalidade, fé e perspectivas de vida. De um lado, temos Maria Tudor, filha de Catarina de Aragão e de Henrique VIII, criada na fé Católica e defensora do Papa e dos interesses de Roma, que sendo em bom rigor herdeira de uma linha legítima, é amada por uns e detestada por outros, pelo facto de renegar a decisão de seu pai Henrique VIII ao recusar a religião Católica. Maria é uma mulher inteligente, orgulhosa e determinada, mas mostra-se dura e receosa de depositar confiança em que se lhe mostre favorável, pois foi vítima de várias traições e sabe poder ter a sua liberdade e determinação ameaçadas.

   Uma das personagens mais fascinantes do romance, pelo retrato humano que da mesma é traçado, é a Princesa Isabel Tudor (que mais tarde viria a ser rainha de Inglaterra - Isabel I), uma jovem cativante, sedutora embora não seja particularmente bela, deixa marcas em quem a conhece. Corajosa, Isabel arrisca a sua liberdade desafiando os poderosos Dudley, que não hesitam em considerá-la mais um peão no jogo de Xadrez do poder real, e que conspiram para dominar o trono de Inglaterra a seu bel prazer.  Apaixonada por Robert Dudley, ainda assim, não cede totalmente às emoções, deixando que os interesses da Inglaterra se sobreponham aos seus interesses pessoais, encontrará em Prescott um fiel e inesperado aliado num clima de intriga e risco constantes.

 Muitas outras personagens secundárias se movimentam à volta do núcleo mais central de protagonistas, e todas elas desempenham um papel de relevo na economia da narrativa. Desde o jovem Peregrine, um miúdo astuto que se revelará um bom amigo de Prescott, à Duquesa de Suffolk, Lady Jane Grey (filha da Duquesa de Suffolk), Lady Dudley, Guilford Dudley (o filho predilecto de Lady Dudley), Mestre Secretário Cecil, e Kate Stafford (Aia da Princesa Isabel Tudor).

  Com uma linguagem formal, mas acessível, que bem caracteriza a formalidade da época histórica que serve de cenário à acção, C. W. Gortner consegue construir uma fascinante narrativa onde se articulam sabiamente ficção e factos históricos, como se perante os nossos olhos desfilasse um filme de época, e levando os leitores a experienciar cada emoção e a querer desvendar os segredos da peculiar e fascinante família Tudor. 

 O retrato de uma época brilhantemente conseguido pelo autor certamente conquistará muitos adeptos para esta leitura. 

Classificação atribuída no GooReads: 5/5 estrelas








terça-feira, 23 de setembro de 2014

[Fantástico] "Possessão", de J. R. Ward [Quinta Essência]



Autora: J. R. Ward

Edição: Setembro de 2014

Editora: Quinta Essência [Grupo LeYa]

Páginas: 524

Preço: 17,90€

Género: Fantástico/Paranormal

Saiba mais detalhes sobre a obra e como poderá adquirir com desconto de 10% AQUI


Crítica por Isabel Alexandra Almeida para o blog Os Livros Nossos:


  Possessão, de J. R. Ward, corresponde ao muito aguardado quinto romance da saga dos Anjos Caídos, onde iremos reencontrar algumas personagens já nossas conhecidas, e descobrir a história ou histórias de novos protagonistas de mais este "episódio", desta deliciosa saga do género fantástico da consagrada autora.

  Tendo por cenário a Cidade Norte-Americana de Caldwell, iremos acompanhar o Anjo Caído Jim Heron em mais um momento decisivo na disputa entre as forças do bem (anjos) e do mal (novamente representadas pela ardilosa e atormentada Devina, um demónio que esconde a sua podridão e feeladade sob a capa de uma mulher bela, sexy e sedutora, mas que ironicamente continua a apresentar características bem humanas, como um distúrbio obsessivo-compulsivo que a leva a sessões de psicoterapia; ou o forte desejo e paixão que inegavelmente acalenta por Jim, o seu eterno adversário), e o Anjo Adrian.

   Este quinto romance da série assume-se como um importante marco na narrativa globalmente considerada desde o início da série, na medida em que tudo parece estar em jogo, mais do que nunca, e se é certo que iremos encontrar os habituais novos protagonistas, sendo um deles a alma que Jim deverá salvar (ou não) da perdição, conseguindo assim mais um ponto a seu favor na sua disputa com Devina, denota-se que a autora volta a conferir um acentuado protagonismo a Jim na economia da narrativa neste episódio, porquanto tudo poderá ser posto em causa, muito por força da luta interna que Jim trava consigo mesmo.

Também Devina, uma das nossas personagens preferidas, muito pela ironia que transporta, e pela sua componente de por em evidência alguns retratos da sociedade moderna, apresenta uma nítida evolução psicológica, deixando-se envolver em emoções que, à partida, lhe seriam estranhas, atenta a sua natureza demoníaca e perversa, sendo esta ambiguidade um dos pontos mais interessantes da construção desta personagem.

  Os fortes sentimentos que Jim nutre pela jovem Sissy Barton, a qual fez questão de salvar do inferno onde sofria às mãos de Devina (muito embora a jovem, efectivamente, mude de dimensão e tenha de defrontar-se com essa perda da vida terrena e do contacto com familiares e amigos) poderão redundar numa total mudança de rumo na guerra entre os anjos e o demónio, e a autora consegue manter os leitores em permanente tensão quanto a este aspecto fundamental da trama, o que vem conferir à saga um novo colorido dramático.

   A nova heroína do mundo terreno será Caitlyn Douglass, uma artista e professora educada por pais que veem na religião o cerne da conduta a seguir, encontra-se numa fase da sua vida em que que renova a sua imagem, numa tentativa de alterar também o seu percurso pessoal, encontrando-se a recuperar de um desaire amoroso grave, acaba por se ver envolvida num triângulo amoroso - sentindo-se dividida entre dois homens fascinantes por motivos diferentes, mas que levam a jovem a despertar a sua sensualidade e energia sexual, há algum tempo deixadas de parte. Quem irá Cait escolher para parceiro? : o sensual e carismático cantor G.B., ou o tremendamente intenso e arrebatador Duke Phillips? Será a escolha a mais correcta?

Intenso, tremendamente sensual e escaldante, abrindo novos e inesperados rumos na trama, Possessão  é um romance que revela o quão equilibrada e apelativa se mantém esta deliciosa saga fantástica! Ward volta a dar cartas sem desiludir!

Pontuação atribuída no GR: 5/5 Estrelas