terça-feira, 14 de julho de 2015

[Fantástico] "O Príncipe", de Sylvain Reynard [Saída de Emergência]

Ficha Técnica:


Título: O Príncipe


Autor: Sylvain Reynard


Chancela: Saída de Emergência


Saga/Série:Noites de Florença


Nº de Páginas: 160


Encadernação: Livro de Bolso


Género: Fantástico


Classificação GoodReads atribuída pelo Blog: 4/5 estrelas


Crítica por Isabel Alexandra Almeida para o Blog Os Livros Nossos:


   O Príncipe, de Sylvain Reynard, é um pequeno livro integrado na série Noites de Florença, que por sua vez, é um Spin Off da série O Inferno de Gabriel.

   Aqui estamos perante uma pequena novella que funciona como prequela à série, mas que poderá constituir também uma leitura apelativa e capaz de convencer os leitores estreantes a desvendar a escrita deste autor, com o seu estilo muito próprio, conjugando história, literatura, e dando especial destaque à belíssima cidade Italiana de Florença, berço do Renascimento.

   O foco central deste pequeno grande livro é, em especial, o percurso pessoal do Príncipe de Florença, um vampiro,senhor absoluto do submundo Florentino.

  Reencontramos o casal Emmerson, protagonista da série Inferno de Gabriel, mas o acento tónico vai, de facto para O Príncipe.

  Encontramos (ou reencontramos, consoante tenhamos ou não lido"Raven-Noites de Florença") um anti-herói forte, poderoso, com capacidades fora do comum que se atribuem à sua espécie sobrenatural, mas fica bem patente a sua atitude marcadamente ambivalente, e um cinismo e frieza que procuram camuflar uma vida longa de perdas acumuladas.

   É apelativa, e cheia de acção, mistério e um toque de erotismo, a trama deste livro, que nos deixa imersos entre as lutas de poder, a intriga política e os perigos do submundo, quase como se, por ali, o tempo tivesse parado noutros séculos, nestes aspectos.

   Mais uma vez, encontramos um protagonista fascinante, com uma pesada carga emotiva, um vazio emocional que parece esconder algo que queremos muito desvendar. E quase fundida com o Príncipe, de uma forma visceral, encontramos a sua amada Cidade de Florença, também ela bela, fascinante e poderosa, capaz de exercer sobre nós um estranho poder encantatório e uma vontade de a revisitar, sendo o Príncipe capaz de nos causar o mesmo efeito. 

  Florença tem um submundo onde gostaríamos de habitar!

  O único defeito desta obra é deixar-nos ainda mais ansiosos pela continuidade da narrativa, adoro o cenário [Florença é, "apenas", a minha cidade preferida de todo o sempre], a história, e sou fã incondicional deste anti-herói sobrenatural, tão poderoso mas tão frágil em tantos aspectos, que é o Príncipe de Florença, acho perfeita a combinação de força e fraqueza nesta personagem marcante, e capaz de fazer suspirar muitos corações, em ambos os mundos.

Viciante, poderosa, emotiva cativante. Recomendamos sem hesitação.

Leia também a nossa crítica a Raven - Noites de Florença.






segunda-feira, 29 de junho de 2015

[Thriller]"Wayward Pines - Paraíso", de Blake Crouch [Suma de Letras]



Ficha Técnica:


Título: Wayward Pines - Paraíso

Autor: Blake Crouch

Editora: Suma de Letras

Edição: Abril de 2015

Páginas: 336

Género: Thriller/Suspense/Distopia

Classificação atribuída no GR: 5/5 estrelas





Crítica por Isabel Alexandra Almeida para o Blog Os Livros Nossos



Wayward Pines - Paraíso, de Blake Crouch, é o primeiro livro de uma trilogia que combina suspense, terror e um mundo distópico, e que serviu de inspiração a uma série televisiva actualmente em exibição na FOX.

   Ethan Burke, um agente dos serviços secretos norte-americanos, ex-combatente nas duas guerras do Golfo Pérsico, é incumbido de viajar até à pequena cidade de Wayward Pines, na companhia de um colega, para que ambos investiguem o paradeiro de dois colegas desaparecidos no local.

  Burke e o colega sofrem um grave acidente, e a partir dai nada mais será igual nos respectivos cursos de vida.

  Internado num hospital de ambiente estranho, onde abundam corredores vazios, e sendo alvo dos cuidados da enfermeira Pam - Ethan Burke vê-se inserido numa comunidade aparentemente paradisíaca, mas onde em breve irá descobrir que nada é o que parece, começando por ver-se destituído da sua identidade, na medida em que depressa assume uma postura de clandestinidade, pois perde o acesso aos seus documentos, não logrando contactar com o exterior, e sendo atormentado por sombras do passado, nomeadamente, traumas de guerra (onde foi feito prisioneiro) sente a falta da esposa - Theresa, e do filho Ben, que pressente que estejam em cuidados perante a sua ausência prolongada.

Burke encontra uma comunidade aparentemente perfeita, mas cedo se apercebe de que a perfeição é meramente ilusória, não sendo viável o contacto com o exterior da Cidade, e chegando mesmo a duvidar da sua própria sanidade mental. Ainda assim, encontrará oponentes perigosos e poderosos - Pam e Arnold Popper (Sheriff) - figuras ambíguas - de que é exemplo o Dr. Pilcher, e também inusitados aliados - como a doce Beverly.


  O autor soube criar uma atmosfera verdadeiramente misteriosa, pois o suspense aumenta a cada virar de página do livro, sendo o leitor assaltado pelas mesmas dúvidas que perseguem o agente Burke, que se vê arrastado para uma situação de cariz verdadeiramente Kafkiano, chegando a duvidar de si mesmo. E a acção desenrola-se a um ritmo frenético envolvido em suspense, acção, violência, perigos mais e menos evidentes, até ao climax do primeiro livro, que nos deixa perplexos com um brilhante e engenhoso Twist final, na expectativa do que se seguirá.


Uma trama a fazer lembrar séries de culto como Twin Peaks ( da qual o autor era fã confesso) ou a atmosfera de conspiração, ficção científica, suspense e interrogações filosóficas e políticas no universo alternativo de Ficheiros Secretos (também exibida pela Fox há alguns anos).

   Na verdade, a narrativa pode ser alvo de diversas leituras, tendo também subjacente alguma crítica social e política, assim como suscita importantes reflexões sobre a natureza humana, numa raiz mais filosófica.

   Adorámos e queremos mais.

Para quem ainda tenha dúvidas, vale a pena ler os livros e ver a série televisiva, visto que existem diferenças entre ambos os suportes.





terça-feira, 23 de junho de 2015

[Crítica Contemporânea] "Fim de Semana Inesquecível", de Veronica Henry [Quinta Essência]

 Ficha Técnica:


Título: Fim de Semana Inesquecível

Autora: Veronica Henry

Editora: Quinta Essência [Grupo Leya]

Edição: Maio de 2015

Páginas: 376

P.V.P: 15,50€

Género: romance contemporâneo

Pode saber mais detalhes como a obra e como a adquirir
AQUI

Crítica por: Isabel Alexandra Almeida [Blog Os Livros Nossos].



   Fim de semana inesquecível é um romance contemporâneo feminino que facilmente conquista e envolve as leitoras numa onda de empatia para com as diversas personagens criadas por Veronica Henry.

   A receita é simples, mas o sucesso é garantido. A acção decorre em Pennfleet, na Cornualha, no hotel Townhouse by the Sea, explorado por Claire e pelo namorado, o sensual Chef Luca, desfila uma galeria de personagens que trazem consigo o peso de segredos, dúvidas e conflitos internos, assim como as consequências de opções que tomaram ou foram forçados a tomar por diversas circunstâncias ao longo das respectivas histórias de vida.

  Claire leva uma vida aparentemente perfeita, tem um negócio de sucesso, gosta daquilo que faz, encontrou em Luca um parceiro satisfatório, e tudo parece correr-lhe de feição, até ao momento em que chega ao Hotel Nick Barnes, o seu primeiro amor, um homem que a marcou enquanto adolescente e jovem adulta, e que a fará revisitar algumas mágoas do seu passado, e uma história que algures ficou interrompida. Nick assume inadvertidamente o papel de hóspede no hotel de Claire, encontrando-se ali para celebrar a sua despedida de solteiro com um grupo de amigos, o que o colocará e a Claire num turbilhão emocional que urge resolver.

  Luca é um chef bem sucedido, ambicioso e egocêntrico, pelo qual Angelica, funcionária do hotel nutre uma paixão secreta.

   Os hóspedes aguardados para um fim de semana prolongado no hotel, escondem cada um deles, os seus pequenos grandes dramas na suas narrativas pessoais, e nem tudo o que parece é!

 Os milionários Trevor e Monique Parfitt vivem uma existência de ostentação, escondendo uma perda que mudou para sempre as suas vidas.

 Collin Turner dispõe-se a gozar de um merecido período de férias com a sua filha Chelsey, a filha que resultou de uma relação extra-conjugal com a instável e perturbadora Karen, mas surgem momentos em que decisões urgem ser tomadas, independentemente das consequências.

Laura Starling e o namorado Dan deslocam-se a Pennfleet não para um fim de semana romântico, como seria expectável, mas em busca de uma pista relativa à identidade e paradeiro do pai que Laura nunca conheceu. Irá a jovem ser bem sucedida?

E assim se cruzam pelo romance várias histórias de vida, com especial destaque para a intriga central de que são protagonistas Claire e Nick, sendo a leitora convidada a revisitar uma antiga história de amor familiar e pessoal, através de flashbacks que nos mostram o passado de Claire.

 Uma história emotiva, sensível, numa escrita de fácil leitura e também imbuída de um toque de ternura que não deixará ninguém indiferente, e uma galeria de personagens bastante consistentes e em aceso conflito psicológico. Uma leitura ideal para este Verão!








sexta-feira, 19 de junho de 2015

[Renda & Saltos Altos] "Tentadora ao Cair da Noite", de Emma Wildes [Planeta]

Ficha Técnica:


Título: Tentadora ao Cair da Noite

Autora: Emma Wildes

Edição: Junho de 2015

Editora: Planeta Manuscrito

Páginas: 264

P.V.P.: 16,95€

Género: Romance Histórico/Sensual


Saiba mais detalhes sobre a obra e como a adquirir AQUI




Crítica para o Blog Os Livros Nossos por Isabel Alexandra Almeida:


   Tentadora ao Cair da Noite, de Emma Wildes, é um romance em cenário histórico, na Inglaterra do Século XIX, em plena cidade de Londres, através do qual somos transportados para o Beau Monde de então e a sua vivência por entre normas sociais bastante estritas e por vezes impiedosas, em especial para as mulheres.

   Com uma história simples, mas com a elegância de escrita que lhe é habitual, Emma Wildes criou, mais uma vez, personagens bastante bem construídas, com alguma densidade psicológica e com as quais se torna fácil empatizar.

   A intriga mostra-se dividida entre central e secundária, sem que nenhuma delas perturbe o livre curso da outras, antes se harmonizando e cruzando facilmente.

   Como personagens centrais encontramos Sophie Meadows - Lady Tower, viúva há alguns anos,  com a maturidade própria de uma senhora na casa dos trinta anos, sente vontade de vivenciar emoções mais fortes e de arranjar um amante em segredo, acreditando que tal será possível, não caindo assim em desgraça em termos de reputação. Conta com o apoio inestimável de um velho amigo da família Sir Samuel Seacrest, que não esconde o quanto gostaria de fazer de Sophie sua esposa. Mas neste contexto de luta interior da dama entre o dever e o dar asas ao desejo, surge a figura de um libertino terrivelmente sensual, ousado e muito habituado aos mais atrevidos jogos de sedução - Julius Valacourt - Visconde Breton. 

  Breton surge perante Sophie como um forte candidato a amante secreto, e o jovem está manifestamente interessado em Sophie, mas conseguirão ambos arriscar e enfrentar possíveis consequências? Ou será mais sensato para Sophie ficar junto da presença tranquila e serena  e reconfortante de  Sir Samuel?

  Como personagens de destaque na intriga secundária surgem Jonas Valacourt, irmão mais novo do Visconde de Breton, um jovem que procura seguir o modelo de libertinagem do irmão, mas cujo destino se cruzará com o da jovem Professora de Música - Olivia Appleton.  Olivia trabalha como professora de Música das filhas de Lorde e Lady Rathburn, sendo uma mulher independente e respeitável, e embora descenda de uma família nobre, não possui fortuna pessoal, e receia constituir família, devido ao peso de uma doença de família que mantém em segredo e que teme possa vir a afectá-la.  E Jonas? serão as suas intenções para com Olívia sérias? ou a sedução não passa de um mero capricho de um jovem nobre mimado? 

  Repleto de cenas bastante sensuais, mas sem perder em elegância e contextualização, encontramos nas páginas deste livro um romance arrebatador, com alguns twists finais que ainda mais enriquecem a história, num romantismo sempre bem presente e bem vincado.

   No seu todo, a narrativa suscita-nos, mais uma vez, uma reflexão acerca das limitações a que estavam sujeitas as mulheres na sociedade britânica do século XIX, mas ambas as heroínas deste romance são bons exemplos de independência, dinamismo, personalidade forte e de vontade e coragem de lutar pela afirmação do seu lugar na sociedade da época, enfrentando tabus e preconceitos de vária índole.

   Os heróis passam por um processo de amadurecimento ao qual não é alheio o facto de o destino os ter feito cruzar com parceiras muito especiais.

   Uma leitura rápida, entusiasmante e que nos deixa com um sorriso sonhador nos lábios, assim que viramos a última página!



segunda-feira, 15 de junho de 2015

[Reportagem] "I Encontro Literário Nós & Os Livros" [Diário do Distrito, Os Livros Nossos, Crónicas de Uma Leitora]


  No passado dia 10 de Junho, Feriado Nacional que assinala o dia de Portugal, Camões e das Comunidades Portuguesas, decorreu o I Encontro Literário "Nós & Os Livros", evento integrado na agenda oficial da 85.ª Feira do Livro de Lisboa, com o apoio da APEL (Associação Portuguesa de Editores e Livreiros), evento este promovido pelo jornal Diário do Distrito, pelo blog Os Livros Nossos e pelo blog Crónicas de Uma Leitora.


   Pelas 15 horas, no relvado arborizado no topo esquerdo do Parque Eduardo VII (do lado da Estufa Fria) começaram a reunir-se organizadores, convidados e leitores em geral, tendo sido formado um grupo alargado de debate informal sobre temas literários e respectiva abordagem no contexto nacional.

   Percorreram-se géneros e sub-géneros literários, nomeadamente, foram trocadas impressões e recomendações sobre romances Young Adult e New Adult- duas trends já bastante divulgadas internacionalmente, mas que ainda se encontram a dar os primeiros passos em Portugal, embora de forma consistente e sendo, cada vez mais apostas de grandes grupos editoriais nacionais), tendo sido este momento do debate orientado por Lóide Sacramento e Vera Carregueira, respectivamente colunista e administradora do blog Crónicas de Uma Leitora.

   

Considerando-se o universo da literatura policial, destaca-se como um dos pontos de relevo do debate a distinção entre duas tendências já assumidas neste género, entre os leitores Portugueses. Vera Brandão, do Blog Menina dos Policiais destacou o contraste entre os autores clássicos de policiais e os novos autores do Policial Nórdico, e as respectivas obras, recaindo a preferência actual sobre os policiais Nórdicos, os quais enfatizam uma abordagem mais crua do crime e respectivo processo de investigação, explicitando uma mentalidade  e uma cultura muito próprias dos países do Norte da Europa.

   Também presente, o autor Nuno Nepomuceno (autor da trilogia Freelancer, da qual se mostram já publicados os títulos "O Espião Português" e "A Espia do Oriente",- Edição Topbooks - e encontrando-se o seu mais recente trabalho nos tops de vendas nacionais, partilhou com os presentes o seu entusiasmo no decurso do processo criativo literário, para o qual procura transpor também a realidade através dos cenários e de características  específicas das suas personagens.



Houve também espaço para visitar o Universo do género fantástico, estiveram presentes como convidadas duas autoras nacionais - Liliana Lavado (autora de "Regresso a Itália" - edição "Marcador", Grupo Presença) e S. Formigo (autora de "In loving memory of", edição Chiado Editora). Foi consensual que este género literário proporciona tanto a autores como aos leitores uma oportunidade ainda mais vincada de evasão em relação à vivência da realidade circundante, tendo as autoras ainda destacado a questão de ser importante sentirem o poder de construírem mundos próprios.


   Vanessa Dias, autora independente (Estilo de Vida Positivo) destacou existir ainda pouca abertura no mercado nacional para a escrita independente , embora tal modo de publicação esteja já bastante divulgado noutros mercados como o Norte Americano.
 
   Questões mais técnicas, em termos editoriais, também foram respondidas. Joana Freitas, Assessora de Comunicação do Grupo Editorial 20/20  disponibilizou-se para responder às questões colocadas pelos presentes, designadamente, bloggers, autores e leitores.
   Num pais onde, em média, são lidos dois livros, como evidenciou Joana Freitas, é normal que a edição em formato ebook nem sempre seja considerada compensadora pelas editoras nacionais, estando ainda restrita à utilização de um nicho ainda pequeno de leitores bastante assíduos. Algumas bloggers e leitoras assumiram-se como adeptas do formato ebook - foi este o caso de Lóide Sacramento ou Helga Rosa, do blog Crónicas de Uma Leitora, outras mostram-se ainda reticentes em aderir a este novo suporte de leitura - como Isabel Alexandra Almeida, do blog Os Livros Nossos.


O evento não estaria concluído sem que se realizasse um sorteio de alguns livros, com o precioso apoio de grupos editoriais parceiros.

Para assinalar a data, foram também distribuídos entre os presentes alguns marcadores realizados exclusivamente para o evento por duas alunas do Curso Profissional de Marketing e Comunicação da Escola Secundária de Alcochete - Ana Bernardo e Inês Filipa.

Uma tarde muito bem passada, entre adeptos do livro, em ambiente de saudável convívio e troca de ideias, contando-se com a perspectiva de vários intervenientes no processo literário. Sem dúvida, uma experiência a repetir em anos vindouros.


Texto: Isabel Almeida
Fotos: Miguel Garcia (Diário do Distrito), Isabel Almeida e Pedro Carvalho (Diário do Distrito e Os Livros Nossos).

(Reportagem conjunta: Diário do Distrito, Os Livros Nossos, Crónicas de Uma Leitora).

Nota de Agradecimento:

A organização do evento deseja agradecer publicamente a todas as entidades que tornaram possível a sua realização, mais agradecendo todos os apoios e facilidades concedidos. Assim, agradecemos âs seguintes entidades e pessoas:

 APEL - por todo o trabalho de apoio à organização do evento e sua inclusão no Cartaz Oficial da 85ª Feira do Livro de Lisboa

Grupo LeYa (Chancelas Asa e Quinta Essência) - pela disponibilização de livros para sorteio.

Grupo 20/20 (Chancela Topseller) - pela disponibilização de livro para sorteio.

Grupo Saída de Emergência (Chancela Chá das 5) - pela disponibilização de Livros para sorteio.

Marcador - Grupo Presença - pelas facilidades concedidas no contacto de autores.

Ana Bernardo e Inês Filipa - pelo exemplar trabalho como assistentes de marketing e enquanto responsáveis pelo grafismo dos meios promocionais do evento.


sábado, 16 de maio de 2015

[Fantástico] "Eve e as Trevas", de Sylvia Day [5 Sentidos- Grupo Porto Editora]


Ficha Técnica:

Título: Eve e as Trevas

Autora: Sylvia Day

Tradução: Leonor Bizarro Marques

Edição: Maio de 2015

Editora: 5 Sentidos [Grupo Porto Editora]

Série: Marcados

P.V.P. 16,60€

Género: Fantasia/Fantasia Urbana

Classificação GR atribuída pelo Blog: 4/5 Estrelas




Crítica para o Blog Os Livros Nossos por : Isabel Alexandra Almeida:

Eve e as Trevas, de Sylvia Day, corresponde ao primeiro romance de uma nova série de fantasia urbana para adultos - Marcados.

Numa narrativa a um ritmo trepidante, plena de acção, perigo, criaturas sobrenaturais e cenas verdadeiramente escaldantes, com toda a intensidade e envolvência com o qual os leitores de Sylvia Day já se encontram deveras familiarizados, estamos certamente, perante um novo vício literário.

Um dos detalhes mais interessantes deste mundo alternativo construído pela autora, verdadeiramente engenhoso  e criativo, é o pano de fundo bíblico que serve de base à história e à construção de dois dos protagonistas masculinos -  Alec Caim e o seu irmão Abel Reed - que são, afinal os irmãos Caim e Abel, que competem entre si de forma feroz, não conseguindo esconder a animosidade recíproca que entre ambos subsiste, por motivos que  não serão ainda concretamente desvendados neste primeiro livro da série.

A protagonista feminina é Evangeline Holis, uma rapariga jovem, de beleza exótica - sendo filha de pai Norte-Americano e de mãe Japonesa, provém de uma família com tradição Cristã, mas é agnóstica, circunstância que confere à narrativa um toque de humor, pois Eve irá confrontar-se com uma realidade para além do óbvio e directamente observável e perceptível pela espécie humana, sendo arrastada inadvertidamente para um mundo sobrenatural, onde verá alterada toda a sua pacata existência, desenvolvendo faculdades sobre-humanas (por exemplo, visão no escuro, regeneração de lesões corporais, uma força e resistência físicas acima do normal), ao ver-se alvo da Marca de Caim, um castigo destinado por Deus aos pecadores que tenham de tentar redimir-se das suas falhas, e no caso de Eve, o pecado foi, há dez anos atrás, ter-se envolvido numa noite de amor com o sensual e irresistível Alec Caim.

Eve irá , para sua surpresa, ter como missão matar demónios - diversas castas de criaturas infernais que habitam entre os humanos de forma camuflada- e tentar escapar com vida a tal tarefa, o que não será propriamente fácil.

Não menos surpreendente é a complexa rede hierárquica das redes celestiais, constituídas por diversos anjos com funções distintas, numa luta pelo poder que nos fará duvidar, muitas vezes, da generosidade e bondade das intenções e decisões tomadas por estes mesmos anjos.

Eve é uma mulher de forte personalidade, muito sensual, e dotada de uma inteligência bastante aguçada, o que lhe será muito útil, perante o seu novo modo de vida.

Alec Caim é um anjo de elevado estatuto hierárquico, mas que se sente culpado por , de alguma forma, ter colocado a mulher que ama incondicionalmente . Eve , em risco de vida. É inteligente, belo, sensual e disposto a arriscar tudo para salvar a amada, um herói que facilmente conquista as boas graças das leitoras, e que tem todo o potencial para gerar uma legião de fãs.

Abel, irmão de Alec, deseja Eve com todas as suas forças, o que o leva a colocar-se, mais uma vez, na mira da hostilidade do irmão Alec. Muito atraente, e também de elevado estatuto entre as hostes do céu, conseguirá aliar-se ao irmão, se tal for necessário para salvar a mulher amada por um e desejada por outro até aos limites de uma clara obsessão?

Um livro de fácil leitura, com cenas trepidantes, e inúmeras descrições que nos dão uma clara imagem mental dos cenários que vão desfilando perante os nossos olhos atentos de leitores ávidos por saber o que nos espera ao virar da próxima página.

Sem dúvida alguma, esta é uma série de fantasia urbana que promete conquistar adeptos e que reúne todo o potencial para chegar ao grande ecran, requerendo, todavia, uma superprodução em termos de efeitos especiais. As cenas sexuais explícitas conferem também um cunho assumidamente erótico à obra, todavia, o género fantástico assume o protagonismo em termos da classificação desta série.

Uma série que queremos acompanhar, com personagens fortes, fantasia, sensualidade e muita acção!




sexta-feira, 8 de maio de 2015

[Novos Livros] "Eve e as Trevas", de Sylvia Day [5 Sentidos - Grupo Porto Editora]


Ficha Técnica:

Título: Eve e as Trevas

Autora: Sylvia Day

Tradução: Cláudia Ramos

Edição: Maio de 2015

Editora: 5 Sentidos [Grupo Porto Editora]

Colecção: Marked

P.V.P.: 16,60€

Género: Fantasia



   Eve e as Trevas, da consagrada autora da Série Crossfire -  Sylvia Day - chega hoje, dia 8 de Maio às livrarias, assinalando o início da publicação em Portugal de mais uma série da escritora, desta feita, com uma incursão pela fantasia. Mais uma novidade com a chancela 5 Sentidos, do Grupo Porto Editora.

 Num mundo onde os demónios podem estar ao virar da esquina, a poderosa e sensual Eve  protagoniza uma aventura vibrante, provocadora e de deixar os sentidos em brasa. 

   [Sinopse da Obra]:

   Para Evangeline Holis, aquilo que parecia ser apenas uma aventura com um mau rapaz acabou por se transformar num desastre de proporções bíblicas.
   Uma noite com o misterioso homem vestido de cabedal foi quanto bastou para a punição divina: a Marca de Caim.
   Presa num mundo onde os pecadores são recrutados para matar os demónios, Eve tem pouco tempo para se adaptar. Agnóstica desde sempre, ela vê-se obrigada a uma série de manobras na burocracia celestial onde passa a ser um valioso mas maltratado peão.
   Eve passa também a ser mais um ponto de discórdia num dos mais antigos casos de rivalidade familiar da História…
   Mas para já, ela está mais preocupada em matar para se manter viva e salvar a alma que nem ela própria sabia ter.

   Amaldiçoada por Deus, perseguida pelos demónios, desejada por Caim e Abel… tudo num só dia.

[ A Autora]:



   Sylvia Day é autora nº 1 nas listas de bestesellers do New York Times e bestseller internacional de cerca de 20 romances premiados e publicados em mais de 40 países. Autora de eleição para seguidores de vários géneros, é bestseller em 28 países e conta já com dezenas de milhões de livros impressos em todo o mundo. Os direitos para televisão da série Crossfire foram adquiridos pela Lionsgate.

Pode acompanhar de perto a carreira da autora:

No site oficial em www.sylviaday.com


No Twitter em twiter.com/sylday

Fique também a par desta e de outras novidades da 5 Sentidos na página oficial da Editora no Facebook, siga AQUI





segunda-feira, 27 de abril de 2015

[Fantástico - Juvenil] A Escola do Bem e do Mal [Individual Editora]


Ficha Técnica:

Título: A Escola do Bem e do Mal

Autor: Soman Chainani

Editora: Individual Editora

Chancela: Lápis Azul

Edição: Novembro de 2014

Páginas: 512

P.V.P.: 17,90

Capa: Cartonada/hardcover

Idade recomendada: + 9 anos

Género: Fantasia

Classificação GR atribuída pelo Blog: 4/5 estrelas


Crítica para o blog Os Livros Nossos por: Isabel Alexandra Almeida


   A Escola do Bem e do Mal, de Soman Chainani, editado em Portugal pela Individual Editora é o primeiro volume de uma trilogia do género Fantástico, tendo por público alvo crianças e jovens com idade superior a nove anos de idade.

   As protagonistas da história são Sofia e Agatha, duas amigas que vivem em Gavaldon, uma localidade no meio de uma floresta. Nesta localidade, de quatro em quatro anos, e há cerca de duzentos anos, são misteriosamente raptadas duas crianças com idade superior a 12 anos, dizendo-se que são levadas para a misteriosa Escola do Bem e do Mal, onde jovens comuns são treinados para serem bons ou maus, em contos de fadas que irão viver.

   Sofia é bonita, gosta de se cuidar, sendo algo obcecada com a beleza, adora cor de rosa e pensa reunir todas as características para entrar na Escola do bem, onde crê ir encontrar um príncipe que fará dela uma princesa com pleno direito a um final feliz, um pouco à imagem dos contos de fadas que lê em cuja concretização acredita. Sofia vive com o pai, sendo órfã de mãe e, ao contrário dos restantes habitantes locais, deseja ser levada para  Escola, deixando para trás a sua vida comum.

   Num nítido contraste, a melhor amiga de Sofia é Agatha, uma jovem que se veste de preto, com aspecto físico pouco cuidado,  vive com a mãe e o seu gato num cemitério, não acredita no amor nem nos contos de fadas, que não passam de ficção, e que muitos julgam ser bruxa, incluindo a sua própria mãe, que a crê destinada a ser uma vilã de conto de fadas, após estudar na Escola do Mal. 

   Apesar das medidas de prevenção tomadas pelos habitantes de Gavelton, as duas amigas são raptadas pela sinistra criatura que todos conhecem por reitor e, para grande espanto de ambas, parece ter havido algo de muito errado no cumprimento deste ritual, pois, Sofia é enviada para a Escola do Mal e Agatha para a Escola do Bem.

   Nas respectivas escolas as amigas irão ver-se a braços com a descoberta das suas identidades, muitas surpresas as aguardam, e há imensos segredos para revelar.

      A narrativa mostra-se escrita, também ela, seguindo muitas das regras dos contos de fadas tradicionais, pois o espaço e o tempo onde decorre a acção são indefinidos, e existem várias referências à simbologia própria deste tipo de histórias que tem atravessado gerações. Mas parece-nos brilhante a forma o autor, a pouco e pouco, nos vai levando a subverter alguns estereótipos, chamando a atenção, com algum humor e ironia, de que nem tudo é linear como por vezes parece, ou seja, serão as fronteiras que separam o bem do mal assim tão nítidas como, à partida, se poderia pensar que fossem? É a grande questão que atravessa transversalmente toda a trama.

   A criatividade do autor fica bem patente nos ricos detalhes com que é descrito um mundo mágico que corresponde às duas alas da Escola, a ala do bem e a ala do Mal. As descrições mostram-se feitas de forma tão perfeita, que nos é fácil ver as imagens mentais dos espaços e acontecimentos a desfilarem perante os nossos olhos, como se estivéssemos a ver um filme.

   Além de Sofia e de Agatha surgem diversas personagens que captam a atenção e a empatia dos leitores. Na escola do bem iremos encontrar Tredos, um príncipe filho do Rei Artur da Távola Redonda, que irá desempenhar um papel de relevo no avanço da narrativa. Na escola do mal, o destaque vai para as alunas Dot, Hester e Anadil, três bruxas que serão colegas de quarto de Sofia na Escola do Mal.

   Também os professores são personagens bastante bem caracterizadas, embora algo enigmáticas, e que acabam por assumir a competição entre as duas facções, em especial, há momentos de bastante tensão e humor entre Lady Lesso, professora de "Maldições e Armadilhas Mortais" na Escola de Mal e Clarissa Dovey, professora de "Boas Acções" na Escola do Bem.

   Embora a narrativa se assuma como adequada a um público alvo infantil, com idade superior a nove anos, cabe referir que a história contém momentos pautados por alguma violência, mas é também esse factor, somado a interpretações e reflexões que podem surgir da parte de leitores adultos, e que apontam para um visão mais metafórica que faz alargar substancialmente o leque de leitores potencialmente interessados na sua leitura.

   Criativo, vibrante e viciante, este é, sem dúvida, um mundo que queremos continuar a espreitar bem de perto!